12.6.18

Esclarecimentos Gerais Sobre o Objeto de Pesquisa em Parapsicologia

Projeção Lúcida da Consciência
para fora da Terra
Fernando Salvino (M.Sc)
Parapsicólogo (FEBRAP/ABRAP/IPCM/ABPCM)
Parapsicólogo Clínico e Psicoterapeuta
Coord. LAC - Laboratório de Autopesquisa da Consciência e do Yôga (Projeto Amanhecer/HU/UFSC)
Bel. Direito (Univali); Esp. Educação (Udesc); Mestre em Educação (UFSC).



I - Das Considerações Iniciais

O objeto em ciência é tudo que está diante do sujeito de conhecimento. Este é o significado mesmo da palavra objeto (o que se posta diante do sujeito, o que não é o sujeito).

Em Parapsicologia temos que o objeto mesmo desta ciência é a consciência, quando no estado parapsíquico de consciência. Mas o que é este estado? Existe consciência fora de algum estado parapsíquico? A própria condição de estarmos movendo nosso corpo não seria um fenômeno psi kapa? Falando? Mas como estudar a própria consciência? Eis o desafio máximo da Parapsicologia em toda sua condição de ciência atualmente livre da tendência dogmática em institucionalizarmos verdades.

O estado parapsíquico de consciência pode ser definido, em sentido estrito, como a condição de estado objetivo e subjetivo não-ordinário de consciência (além do “normal”, daí para-normal) que compõe a ampla gama de fenômenos considerados paranormais, incomuns, anômalos, parapsíquicos, mediúnicos, extrassensoriais, espirituais, etc. Em sentido amplo, é a própria ligação da inteligência com o veículo, na ação psicocinética e sempre parapsíquica de tudo o que diz respeito a si mesmo. Neste ultimo sentido, o si mesmo transcendental, o sujeito por trás da ciência, se manifesta parapsicologicamente e não psicologicamente. Partiremos do axioma.

A consciência é realidade móvel, essencialmente projetiva e neste ponto, dependente de corpos para se manifestar e cujo movimento destes corpos está intimamente relacionado a ampla gama de fenômenos assim considerados parapsicológicos. O entendimento da Projeciologia é para mim, a chave para o entendimento da Parapsicologia. Em seu sentido amplo, a Projeciologia dedica-se ao estudo das projeções gerais da consciência, seja da energia seja da consciência propriamente dita para fora do corpo. Destarte, os fenômenos psi-gâmicos e psi-kapa não ocorrem somente aqui, nesta dimensão física, mas também nas demais dimensões, extrafísicas, cuja Parapsicologia extrapola como ciência não somente terrena, mas que prossegue suas investigações quando a consciência acha-se em estados mais potentes de consciência, com as experiências fora do corpo e as interações desta com o mundo humano.

A proposta inicial da Parapsicologia, com suas raízes na Metapsíquica, Espiritismo, Teosofia e assim por diante, era de investigar os fenômenos assim considerados sugestivos da sobrevivência após a morte, principalmente. No entanto tal ciência foi progredindo e, após o advento da Projeciologia a partir de 1929, com Sylvan Muldoon e em 1986 com a publicação do primeiro estudo mais amplo da projetabilidade da consciência para fora do corpo humano, pelo médico Waldo Vieira, então temos que a Parapsicologia deu um salto. Seu objeto modificou-se, movimentou-se, atualizou-se. Allan Kardec já via a importância do estudo do espírito em si mesmo, do caráter e da reforma do caráter como pressuposto da condição humana neste planeta. Por outro lado, ainda estava associado ao processo religioso relativo aos próprios espíritos comunicantes. Com a projetabilidade consciente para fora do corpo o parapsicólogo poderia ele mesmo, sair de seus limites restringidores de percepção e averiguar a realidade extracorpórea e conhecer mais a si mesmo além desta fisiologia. A investigação de Muldoon montou os alicerces de uma ciência parapsicológica experimental onde o próprio parapsicólogo seria ele mesmo o sujeito e objeto de investigação. Mas esta ciência é nova? Não. Como pode perceber no estudo dos ensaios neste espaço, a ciência do Yôga embora indiretamente, dedicou-se ao mesmo campo de estudo da Parapsicologia, o si mesmo transcendental.

Assim, a Projeciologia coloca a Parapsicologia como ciência que se efetiva além mesmo desta dimensão e inevitavelmente reformulando a sua própria taxonomia ou a classificação dos fenômenos assim considerados parapsicológicos.

Embora estejamos passando por uma atualização geral e reformulação coerente desta ciência, considero que, na esteira do pensamento de tantos parapsicólogos ao longo da história, de que está cientificamente comprovado que aquilo que chamamos de alma, espírito, consciência, self, pré-existia e sobrevive à morte biológica e em determinadas condições pode permanecer completamente fora do corpo biológico e usar de um outro veículo, o corpo astral ou psicossoma, estando comprovada pois a hipótese do corpo objetivo em Parapsicologia.

A Parapsicologia então estudando o estado parapsíquico da consciência passa a inevitavelmente estudar a consciência em si que altera de estado, consciência esta que já existia antes do nascimento, passa a assumir novo corpo e permanece existindo após a morte biológica. O estudo da consciência em si, pode ser chamado então de o novo objeto mais amplo da Parapsicologia, ou na nomenclatura de Miguel Reale, "conscienciológico".

Assim, em resumo, até o presente a Parapsicologia estuda a consciência quando no estado parapsíquico de consciência, que conforme as variadas classificações já adotadas por variados parapsicólogos se resumem em 3:

1. Função Psi-gama
2. Função Psi-kapa
3. Função Psi-theta

Para Charles Richet, temos assim:

1. Fenômenos metapsíquicos subjetivos (equivalente a Psi-gama e PES)
2. Fenômenos metapsíquicos objetivos (equivalente a Psi-kapa e PK)

Os fenômenos Psi-theta e sobrevivência estão contidos na metapsíquica subjetiva.

Para a classificação de J. Rhine temos a seguinte:

1. PES – percepção extrassensorial
2. PK - psicocinesia
3. Hipótese de sobrevivência

A classificação ainda é usada por Waldo Vieira da seguinte forma:

1. Estado de Consciência “Objetiva”: relativo ao veículo e dimensão de manifestação da consciência.
1.1 Estado Intrafísico
1.2 Estado Extrafísico
1.3 Estado Projetivo
2. Estado de Consciência Subjetiva: relativo ao que ocorre no micro-universo da consciência.
2.1 Consciente (relativo à lucidez, percepção clara de realidade, psi-gama, psi-theta, PES realista, etc.)
2.2 Semi-Consciente (relativo a sonhos, devaneios, psi-gama modalidade PES alucinatória, simbólica, etc)
2.3 Inconsciente (relativo a sonambulismo, catalepsia projetiva)


II - Da Nova Taxonomia em Parapsicologia

A Parapsicologia tendo estudado a manifestação da consciência fora do corpo, na proposta de Muldoon, ou a autoexperimentação, acabou também por investigar experimentalmente a existência de outras dimensões do cosmo, os pluriversos, as membranas invisíveis desta dimensão, pelo acesso direto, a habitabilidade, a astrobiologia extrafísica, e nos mais transcendentes experimentos, a cosmologia de amplo espectro, ou as projeções da consciência para fora da Terra, os contatos com inteligências alienígenas, ou a Holocosmologia. É neste sentido que propus uma função psi diferente de todas as já classificadas, ou a função psi-ómicron, relativo aos fenômenos parapsíquicos de largo espectro ou holocósmicos.

A nova taxonomia em Parapsicologia, ou o seu objeto de pesquisa, então pode ser definido como o estudo da consciência a partir das seguintes referências.

a) De acordo com Estado de Consciência Objetiva (corpo e dimensão) donde se manifesta:

1. No estado intrafísico (vida humana ou de posse de algum corpo mais denso)
2. No estado extrafísico (quando fora do corpo, “morto”, “desencarnado”, de posse do corpo astral ou psicossoma ou livre, sem corpo, na dimensão consciencial pura).
3. No estado projetivo (quando move a energia ou se projeta para fora do corpo, seja o corpo físico ou o corpo astral ou psicossoma).

b) De acordo com o Estado de Consciência Subjetiva (lucidez e função psi associada):

1. Hiperconsciente: psi-ómicron.
2. Consciente: psi-gama, psi-kapa, psi-theta.
3. Semi-consciente: psi-gama, psi-kapa, psi-theta.
4. Inconsciente: psi-kapa, psi-theta.

c) De acordo com a Função Psi, independente do estado de consciência objetiva ou subjetiva:

1. Psi-ómicron
2. Psi-gama
3. Psi-kapa
4. Psi-theta

d) De acordo com o nível de Evolução da inteligência:

1. Perturbada (inteligência sofredora e aprisionada)
2. No caminho de dissolução da perturbação (Caminho ao Samadhi)
3. Perturbação dissolvida (Samadhi ou inteligência desperta)
4. Perturbação definitivamente dissolvida (Kaivalya ou inteligência livre).


Assim temos que a Parapsicologia é o estudo da consciência em seus múltiplos estados parapsíquicos de manifestação, objetiva e subjetiva, nesta ou noutras dimensões, estando ela consciência, semi-consciente ou inconsciente, em suas 4 funções psi elementares (no mínimo), incluindo os fenômenos ocorridos nesta e noutras dimensões, as consciências extrafísicas (espíritos ou consciências extrafísicas), a manifestação da consciência (inteligência) no holocosmo, as múltiplas dimensões do holocosmo, as múltiplas vidas (existências), a vida da consciência entre as vidas humanas, e assim por diante. Pode ser compreendida como o estudo do comportamento integral da consciência, em suas várias dimensões e internamente, no domínio dos corpos e da energia. Assim como pode ser compreendida como a Psicologia Profunda, além da Transpessoal, a Parapsicologia é a “Psicologia” do espírito, da alma, do substrato inteligente. Daí porque dizer que em Parapsicologia Clínica usamos de técnicas e métodos que consideram as vidas anteriores, a energia, os campos de energia, chacras e assim por diante, em uma abordagem científica e experimental.

0 comentários:

Postar um comentário

Caro(a) leitor(a), seu comentário é bem vindo!