Terapia de Vidas Passadas e Pesquisa Científica da Retrocognição

Acesse meus ensaios sobre minhas experiências retrocognitivas, de terceiros e implicações científicas.

Conscienciologia, Projeciologia, Experiência fora do Corpo, Projeção Lúcida (Astral)

Acesse meus ensaios sobre minhas primeiras experiências extracorpóreas ainda no útero de minha mãe até minha idade atual.

Holocosmologia, Samadhiologia (Serenologia), Função psi-ómicron, Yôga, Tao, Meditação

Acesse meus ensaios sobre a Holociência e o método para o acesso holocósmico.

Ufologia Avançada, Parapsicologia Experimental (psi-ómicron) e Autoexperimentação Parapsíquica

Acesse meus ensaios sobre a correlação entre os fenômenos psi-ómicron, a Ufologia Avançada e experimentação direta.

26.2.19

Considerações sobre o Estado Vibracional, Circuito Fechado de Energias, Método do Qi Qong e Outras Considerações

Por Fernando Salvino.


A pesquisa do Estado Vibracional está ainda numa fase proto-científica. O que é o Estado Vibracional? É a sensação de forte campo vibracional envolvendo e penetrando o veículo, seja um soma (corpo físico) seja um psicossoma (corpo astral, perispírito). Mas é só isso? Não.

E de onde veio esta questão de Estado Vibracional?

O histórico do Estado Vibracional é confuso. O nome parece ter sido cunhado por Robert Monroe, projetor consciente já dessomado, ou desencarnado. Mas o fenômeno já é antigo, muito antigo.

E como é de se esperar, irei retornar ao Qi Gong chinês, onde no planeta é a disciplina que se dedica milenarmente ao trabalho (Gong) com o Qi (energia).

O histórico do Qi Gong é imemorial e se encontra no xamanismo chinês suas práticas mais antigas e ao longo dos tempos foi se desenvolvendo e aprimorando em técnicas e mais técnicas de controle do Qi, organizado em métodos, tendo penetrado tanto a medicina chinesa como as práticas do assim chamado Yoga taoista e mesmo as artes de defesa, como Gong Fu.

Porém, encontramos na Índia os Pranayamas, que nada mais são, que exercícios de controle do prana (Qi, energia). E quando se desenvolveu os pranayamas? Não se sabe ao certo também.

Assim, isto que modernamente se chama de Estado Vibracional é fenômeno conhecido milenarmente e induzido por vários métodos, sendo que todos eles envolvem a movimentação da energia (Qi, prana, "luz") ou mesmo a instalação direta.

E para confundir ainda mais o histórico, temos que nos dirigir ao parafato de que o EV é praticado não somente por inteligências físicas mas também as extrafísicas, vivendo tão só de psicossoma. As inteligências extrafísicas também praticam mobilização de energias e EV, assim, a história do EV se mescla com a para-história do EV e da mobilização de energia.

A instalação direta do EV foi ensinada a mim por um espírito de aparência chinesa, que dominava por completo do método. Ele o fez numa projeção lúcida para fora do corpo. Ele simplesmente acionava o campo vibrátil com a intensidade que ele intencionava. Foi ali que vi que o EV se mostra num espectro que varia de intensidade, diria de fraca a potente. E foi ele que me mostrou que o EV seja qual for a intensidade, necessita ser pacífico e benevolente. Mais tarde fui estudar o Qi Gong e Yôga, e toda a teoria epistemológica de ambas ciências estão ancoradas na bondade e não-violência. Ali estavam expostos os fundamentos de uma arte de defesa isenta de violência. Ali estavam sendo demonstradas as bases da arte de defesa interna, tal como o tai chi chuan.

O EV é uma técnica de defesa energética usada no tai chi chuan, onde o praticante instala o EV e controla sua intensidade e ao mesmo tempo absorve a energia violenta do agressor, desarmando-o. Noutras palavras, "suga" instantaneamente a energia do agressor desarmando-o e por fim, refina a energia absorvida e devolve ao agressor energia serenizada.

Em pesquisa realizada, encontramos a movimentação da energia dentro do contexto meditativo em áreas como o Elixir da Flor de Ouro, na meditação chinesa, assim como no método Quan Yin, como também no Krya Yoga, Surat Shabd Yoga e mais especificamente no Neidan, ou a alquimia interna taoista, cujo método é descrito de forma clara como é a circulação do Qi tanto pelos canais de controle e função, como longitudinalmente da cabeça aos pés, pelo canal do impucho.

Modernamente, Waldo Vieira nomeou como Circulação ou Circuito Fechado das Energias o movimento intencional do Qi pelo corpo, reduzindo o movimento a grande circulação, dos pés a cabeça. Chamou também de EV o estado vibratório.

Nanci Trivellato, mudou o nome da técnica para OLVE  ou oscilação longitudinal voluntária das energias, tentativa inútil de trazer para si alguma modificação substancial da técnica. A OLVE é exatamente a mesma técnica descrita por Waldo Vieira. E a técnica de Waldo Vieira é exatamente igual a 4ª regulação do método taoista de meditação realizada em grande circulação, no sentido longitudinal, pelo chamado "thrust channel" ou canal longitudinal assim já mapeado há milênios pela medicina chinesa.

O método disseminado por Waldo Vieira e copiado por Nanci Trivellato são versões limitadas do antigo método chinês de meditação, muito mais completo e muito mais seguro para quem aplica. E explico porque.

O método chinês não permite que o praticante instale o EV ou circule o Qi sem antes estar desarmado (tipo de relaxamento onde determinados grupos musculares ligados a condição de combatividade), respirando corretamente e suavemente e com o coração e sentimentos serenizados e amorosos. A prática da circulação do Qi só inicia após a 1ª, 2ª e 3ª regulações. O método de Vieira-Trivellato apregoam o início da circulação sem as regulações citadas.

O mesmo erro recai sobre o método da meditação das várias linhas por ai afora. Muitos métodos confundem meditação com regulações. A maioria dos métodos considera a 1ª e 2ª regulação como meditação. Outros consideram a 5ª regulação (regulação da mente) como meditação. Outros ainda a 4ª regulação somente.

A meditação completa, inteira, integral, apresenta 5 regulações e 5 refinações, tal como descreve o método taoista.

O EV quando instalado sem amorosidade, é uma arma.

O EV quando instalado com intenções de se livrar de um assediador, é uma arma.

O EV quando instalado com intenções de se isolar do mundo, é uma arma.

O Estado Vibracional exige discernimento quanto a sua utilidade e seu uso deve estar sempre orientado pela intenção benevolente e amorosa. É daí que nasce um EV leve, vaporoso, sutil, serenizante e de profunda paz de espírito. E isto nada tem a ver com autodefesa energética que é muito mais uma arte marcial energética do que um método de serenização do espírito.

Afinal de contas, todas as linhas acima citadas defendem a tese de que todos nós precisamos alcançar a desperticidade. E desperticidade é serenização do espírito, e nada tem a ver com cultivo de uma personalidade bélica ou defensiva.

23.2.19

(#44) Bilocação provocada pela Dor: Relato (Projeção Astral)

19.2.19

Ensaio sobre a Sinceridade, sobre a Ciência e Verdade

F.S.

Eu não vejo outra possibilidade para a ciência do que todos nós sermos o mais sinceros e verdadeiros naquilo que pesquisamos e publicamos. Parece até contraditório, pois ciência busca a verdade! E como eu vou encontrar a verdade estando preso a politicagens próprias das academias científicas? Ou dos círculos de pesquisadores, revistas científicas, congressos, simpósios, e assim por diante?

A verdade não pede licença! A verdade não é moral ou imoral! A verdade não respeita regras de etiqueta ou cita fontes baseadas nas normas de ABNT ou similar!

A verdade entra de sola! A verdade mostra sem preocupação com agradar ou desagradar!

A verdade é uma terra sem donos, sem contratos de propriedade, sem posse! A verdade não está nas instituições, nos currículos, nos discursos, na aparência!

A verdade só pode estar na sinceridade. Sem que o sujeito de conhecimento parta de sua própria verdade, de sua própria sinceridade, de sua própria honestidade, como poderia ele conhecer?

A falsidade se tornou o cerne da sociedade normal. A hipocrisia se mostra como a mais alta moralidade que podemos ter nesta sociedade.

A normalidade doente, os normais perturbados, os normais aprisionados pela fachada, pelos desejos perturbados, pela vida fútil e pelo sonho!

Pois que, pela sinceridade se para de sonhar! A sinceridade é o mesmo que acordar! A correspondência entre o sujeito e o objeto só é possível por um laço sincero, honesto, por uma ligação limpa.

Ciência se faz com liberdade.

Ciência se faz com ampla liberdade de expressão, longe mas muito longe da falsidade e da mesquinharia dos ganhos temporários de uma sociedade que normaliza a perturbação ética como sinal de neurotipia.

Ética só existe quando se é sincero. E sinceridade só pode existir quando se ama. Sem amor não existe sinceridade. E sem amor não existe discernimento. E sem discernimento não existe clareza. E sem clareza não existe verdade. E sem verdade só existe sonho. E onde só existe sonho, só existe sofrimento.

8.2.19

(#41) Saindo do Corpo e Lembrando de Minha Vida Passada

6.2.19

EES - Experiência de Espectro do Samadhi: Do estado de perturbação ao Samprajnata Samadhi

Fernando Salvino (MSc)
Parapsicólogo Clínico e Psicoterapeuta
Projeciólogo e Conscienciólogo (Livre Pesquisador)
Praticante de Yôga e Tai Chi Chuan mais de 20 anos (nesta vida).

Fundou e Coordenou o LAC - Laboratório de Autopesquisa da Consciência e do Yôga durante 8 anos (HU-UFSC)



Considerações Iniciais

Este ensaio é antigo e revendo os rascunhos que não tinha ainda publicado e que ficaram pendentes aqui nos arquivos encontrei este e fiz por bem terminá-lo em razão de sua importância para a pesquisa científica do Yôga e mais especificamente, do Samadhi.


I - Da Prática em Laboratório

A prática da meditação microcósmica e macrocósmica foram desenvolvidas ao longo de milênios e podem ser compreendidas como o método natural para a holofusão.

E diante disso colocar em palavras o que ocorre em samadhi é das mais difíceis tarefas, não raro, podendo mistificar este fenômeno essencial na evolução do espírito e restringindo seu acesso a poucas pessoas. O samadhi é para todos.

E tentamos quase o impossível que é investigar, praticar e vivenciar experimentos transcendentes relacionados com Samadhi no LAC - Laboratório de Autopesquisa da Consciência e do Yôga.


II - Do Caso

O caso que narro aqui de forma sintética ocorreu num dos experimentos do LAC onde após uma experiência de meditação, onde partimos de uma condição mais perturbada e de regulação em regulação, refinação em refinação, atingimos o samadhi em grupo. Estávamos em 4 pesquisadores.

No momento em que atingimos este estágio da meditação, onde ocorre a supressão da perturbação ou das ondulações de instabilidade da consciência, pude ver um grupo de meditadores vestidos de alaranjado com turbantes também alaranjado, e um deles dirigiu-se até mim e disse:

SAMPRAJNATA SAMADHI

No momento senti-me importante e vaidoso ao ter o privilégio de estarmos sendo ensinados diretamente por Yogues extrafísicos, quando o mesmo yogue me diz telepaticamente:

VOCÊ É CONFIÁVEL, MAS NÃO TANTO COMO IMAGINA SER.

O choque de realidade e o impacto da verdade a respeito de meu próprio caráter moderou minha lucidez, baixei minha vaidade, regulei minha mente e pus a falar com meus amigos sobre o que acabara de ver e ouvir.

Acontece que eu não sabia o que se tratava a expressão. Eu anotei e disse aos meus amigos. No exato momento, pesquisamos no google e vimos se tratar de um tipo de SAMADHI COM SEMENTE, um samadhi inicial, primário e que um longo caminho ainda teríamos pela frente.


III - Da Conclusão Geral

E diante desta experiência ficou mais evidente que o SAMADHI, na verdade, é uma EES - Experiência de Espectro do Samadhi.

Do Samprajanata ao Hipersamadhi, na fronteira com o Kaivalya.