Terapia de Vidas Passadas e Pesquisa Científica da Retrocognição

Acesse meus ensaios sobre minhas experiências retrocognitivas, de terceiros e implicações científicas.

Conscienciologia, Projeciologia, Experiência fora do Corpo, Projeção Lúcida (Astral)

Acesse meus ensaios sobre minhas primeiras experiências extracorpóreas ainda no útero de minha mãe até minha idade atual.

Holocosmologia, Samadhiologia (Serenologia), Função psi-ómicron, Yôga, Tao, Meditação

Acesse meus ensaios sobre a Holociência e o método para o acesso holocósmico.

Ufologia Avançada, Parapsicologia Experimental (psi-ómicron) e Autoexperimentação Parapsíquica

Acesse meus ensaios sobre a correlação entre os fenômenos psi-ómicron, a Ufologia Avançada e experimentação direta.

11.8.15

Sobre o Princípio Fundamental do Yoga: Primeiras Considerações


Ideograma chinês "Wu",
correspondente ao Wu (xamã), ou
o intermediário entre Yin e
Yang, dimensão física (Terra) e
dimensão extrafísica (Céu).
Fernando Salvino (M.Sc)
Parapsicólogo, Psicoterapeuta
Prof. Tao Yoga/Tai Chi Chuan


O que difere essencialmente o Yoga de toda e qualquer outra sistemática desenvolvida pela humanidade?

O que torna o Yoga diferente do Pilates, da Ginástica, do Malabarismo, da Psicologia, da Parapsicologia, da Conscienciologia, da Projeciologia?

A resposta é simples: o princípio.

O Yoga para ser Yoga necessita partir de um princípio fundamental, que na China chamou-se de "Yi" e na Índia de "Ahimsa".

"Yi" é o princípio de amor, de benevolência, ou o princípio da não-luta, princípio da não-ação. "Ahimsa" é o princípio da não-violência, portanto, de amor, de benevolência.

Para que seja Yoga então, partimos de "Yi", de "Ahimsa".

Então que inicialmente refina-se Yi, para posteriormente refinar-se Jing em Chi, para após Chi em Shen, e Shen em Wu-Ji. Assim temos as 4 refinações que incluem as 5 regulações dentro dos 8 movimentos metódicos, o pákua (8 movimentos), ou ashtanga (8 etapas).

Outra diferença é a sistemática integral que abarca a complexidade do ser humano, tomado por inteiro, em suas variantes interna e externa, com isto compondo os trabalhos interno e externo.

Ao trabalho externo chamamos Wai-Dan-Gong (alquimia externa). Ao interno, Nei-Dan-Gong. Ambos representam Yang e Yin, fora e dentro, sendo Nei-Dan o mais difícil. Nei-Dan correponde a Dhyana, a meditação profunda exposta por Patañjali no Yogasutra.