Terapia de Vidas Passadas e Pesquisa Científica da Retrocognição

Acesse meus ensaios sobre minhas experiências retrocognitivas, de terceiros e implicações científicas.

Conscienciologia, Projeciologia, Experiência fora do Corpo, Projeção Lúcida (Astral)

Acesse meus ensaios sobre minhas primeiras experiências extracorpóreas ainda no útero de minha mãe até minha idade atual.

Holocosmologia, Samadhiologia (Serenologia), Função psi-ómicron, Yôga, Tao, Meditação

Acesse meus ensaios sobre a Holociência e o método para o acesso holocósmico.

Ufologia Avançada, Parapsicologia Experimental (psi-ómicron) e Autoexperimentação Parapsíquica

Acesse meus ensaios sobre a correlação entre os fenômenos psi-ómicron, a Ufologia Avançada e experimentação direta.

24.6.15

Experiência Cosmointermissiva: Ensaio sobre o Encontro com a Base Estelar de Adaptação e Monitoramento da Terra, a Inteligência-Inseto e Beleza Universal

Representação do hipotético "insectóide"
Dr. Fernando Salvino
Parapsicólogo e Psicoterapeuta
Professor de Tao Yoga - Tai Chi Chuan e Livre Pesquisador da Consciência 
Espaço Terapêutico Tao Psi
Projeto Amanhecer - HU - UFSC
LAC - Laboratório de Autopesquisa da Consciência



I - Considerações Iniciais

A ficção científica adora vislumbrar como seriam as formas alienígenas. Eu mesmo quantas vezes deparei-me refletindo sobre como seriam alienígenas que se aparentassem de forma completamente diferente com o que estamos habituados a imaginar. No entanto nunca sequer poderia imaginar a experiência que abaixo descrevo, ocorrida em meio a uma retrocognição de laboratório realizada no LAC - Laboratório de Autotopesquisa da Consciência, com o testemunho dos pesquisadores Guilherme Loureiro (M.Sc), Rosamary Xavier e Rodrigo Bastos (M.Sc).

A intuição mais ou menos vaga sobre a existência do proposto Conselho de Calibração e de uma organização similar a ONU com abrangência interplanetária para além, foi proposta no ensaio escrito muitos anos atrás, intitulado: "A Gênese do Cosmodireito: Ensaio sobre os Fundamentos da Ordem Cósmica", onde expus a existência do Direito Interplanetário e assim por diante. A sede de tal ONPU, seria no espaço cósmico, reproduzindo o ecossistema de cada planeta de forma a unir povos, como em uma estação interplanetária pluri-habitada pelos povos do universo.

A retrocognição, ou o acesso direto à memória antiga, neste caso, de um dos meus últimos períodos entre-vidas, foi o método usado para vasculhar-me em autopesquisa, visando o entendimento de aspectos pouco compreendidos até então. O sentido de ter nascido em minha família e especialmente com meu pai, e minha ligação com a Alemanha (parentesco hereditário), aversão a campos nazistas, métodos de tortura e assim por diante. Ao mesmo tempo que tais traços se mostram em fase de cicatrização o oposto transcendental evidencia o paradoxo Yin Yang em minha vida, ora intrafísica, ora extrafísica, ora nas vidas físicas humanas associadas ao sofrimento e a felicidade em ritmo oscilatório, ora nas vidas extrafísicas no campo do transcendente e no êxtase holocósmico.

O presente experimento retrocognitivo de laboratório apresenta algumas características básicas:

1. É realizado em grupo treinado e especializado no campo da autopesquisa científica e parapsíquica, todos parapsicólogos (no caso, todos treinados por mim) em local reservado, sala fechada e energeticamente preparada para o tipo de atividade.
2. O grupo carrega em si uma profunda interação, amizade, ligação afetiva, respeito mútuo, confiança acima do comum, e exercício da criticidade e liberdade, dentro dos critérios da autopesquisa científica e da intencionalidade benevolente/amorosidade interpessoal. Tendo estes fundamentos práticos exercidos, ocorre um acoplamento grupal isento de conflitos e potencializando a amparabilidade em alto nível.
3. Todos se autopesquisam em profundidade, recorrendo aos meios científicos da metodologia, às ciências da consciência e à ciência do yoga como referência epistemológica para a autopesquisa profunda, parapsíquica.
4. A autopesquisa se move em grupo, apesar de individual. Em dado momento surge a necessidade do mergulho ao passado de forma a compreender o presente e dissolver perturbações associadas aos apegos a dores ou situações prazerosas não vividas no momento.
5. O sujeito autopesquisando deita em maca, e inicia-se a relaxar-se, a se entregar ao experimento. O experimento é coordenado pelo facilitador que potencializa a focalização do autopesquisando no curso da experiência (continuum experiencial). O método de indução é o da hipnoterapia na condução do relaxamento a partir de comandos dados pelo facilitador, que, alterando sua consciência em conjunto com o autopesquisando, vai aprofundando a experiência até o acesso retrocognitivo propriamente dito.
6. Inicia-se o experimento. Os relatores registram a experiência ao mesmo tempo que sentados relativamente afastados, tornam-se observadores desacoplados ao campo, realizando sessões recorrentes de circulação da energia, sustentação do campo e conexão com equipe extrafísica de amparadores.
7. Finaliza-se o experimento e passam ao dialogo, feedbacks, analise, sintese e fechamento da experiência. A duração temporal entre um experimento e outro podem durar meses de metabolização da experiência até a assimilação total do conteúdo.

É comum em meus experimentos retrocognitivos os relatos saírem em blocos de sínteses de informações, visto a dificuldade em colocar em palavras as experiências cosmointermissivas, especialmente, meta-transcendentes e profundamente espirituais.

De qualquer forma, torno abaixo público o relato do experimento controlado de laboratório de forma a também contribuir com a pesquisa científica da consciência e com o leitor para que possa inspirar-se nos experimentos psi-ómicron, meta-holotrópicos, além de tudo o que poderia ver e viver aqui neste planeta. Como diria Uchoa, um verdadeiro mergulho no hiperespaço.

II - Do Experimento

11/07/2015
Local físico: LAC - Laboratório de Autopesquisa da Consciência (Projeto Amanhecer / HU / UFSC)
Equipe: Fernando Salvino (M.Sc) - autopesquisando. Guilherme Loureiro (M.Sc) - facilitador-focalizador do experimento. Rosamary Xavier (Bel.) - suporte energético e relatora. Rodrigo Bastos (M.Sc) - suporte energético e relator.

"Estou numa base bem longe... metálica, eles tem um rosto diferente, são transparentes, quase sem forma definida [neste momento ocorre no laboratório uma expansão do ambiente]. Ali se faz a adaptação, plantas, metal, construção, não é uma nave, é uma base bem longe daqui, faz o monitoramento da Terra, painel gigante, tecnologia como se fosse um vidro.

Estou num ambiente de adaptação, eles flutuam dentro dessa base, parece como se fosse um inseto louva-deus inteligente, escamas na cabeça. Ala de adaptação. Linguagem impossível de entender. Olho de inseto, com antena, são  grandes, muito inteligentes, antenas muito inteligentes, muita agilidade dos membros, linguagem parapsíquica. 


- De onde eu sou? [comunica-se telepaticamente e ao mesmo tempo escuto a informação, compreendo e escuto a lingua incompreensível usada]

A minha imagem não causa estranhamento. Adaptação, ambiente onde todos ficam e dá para ter certa interação. Tem um com a cabeça bem grande, bem fino, como se fosse um reconhecimento, lugar muito grande, teto é uma tela de energia eletromagnética, dá para ver as linhas de campo. 

"Zíper", roupa tipo plástico, confortável, bem fino chacra coronário aberto, Saturno, anéis, energia cósmica, gratidão... consigo quase sentir a consciência que permeia tudo, a eternidade que sempre existiu e vai existir, a beleza de tudo e é de lá que vem a beleza..."

III - Das Considerações Finais

Após o experimento sinto-me em êxtase cósmico, samadhi real, expansão cosmoconsciencial retrocognitiva e que se tornou uma expansão no momento atual, sem tempo, sem espaço, sentindo a serenidade causal espiritual profunda, ausência total de perturbações e preenchido de uma confiança absoluta no universo, no passado, no futuro e no destino comum e maravilhoso a todos.

A beleza de tudo e a fonte da beleza brota da fonte universal de amor cósmico absoluto, o Deus não-humano, o vazio universal cheio de vida.

13.6.15

Experimento de Visão Remota em Meditação Profunda: Ensaio sobre as 3 inteligências supra-humanas.

Dr. Fernando Salvino
Parapsicólogo e Psicoterapeuta
Pesquisador da Consciência e Holocosmologia
Professor e Pesquisador do Tao Yoga - Tai Chi Chuan
Espaço Terapêutico Tao Psi (clínica particular)
Projeto Amanhecer - HU - UFSC (clínica voluntária)
Coordenador do LAC - Laboratório de Autopesquisa da Consciência (PA-HU-UFSC).



Considerações Iniciais

O presente ensaio parte de uma única experiência que foi fruto de reflexões profundas acerca da existência de consciências realmente capazes de nos orientar evolutivamente. As reflexões gravitam em torno da questão da evolução, ou do autoaperfeiçoamento infinito a que nos damos a gratidão de retribuir à existência.

O ser humano em geral parece ter uma tendência em atribuir evolução aos seres além físico, aos espíritos e mesmo aos alienígenas. O que não é tão inverdade, mas isto não significa que em Terra não podemos encontrar tais seres encarnados e envolvidos com tarefas de assistência humanitária.

Os seres mais evoluídos do planeta, onde estão? O que estarão fazendo? Como vivem? Como são? Quantos são? Em minhas práticas de meditação profunda, pude numa experiência "ver" três destes seres supra-humanos, mas que nada tem de super-homens como os vemos nos desenhos animados. E suas formas de viver são tão comuns e anônimas que poucos se darão o trabalho que imaginar que os seres mais evoluídos do planeta estarão envolvidos com tais atividades e completamente fora de qualquer atividade acadêmica ou intelectual, ou ainda relacionado com algo científico ou supostamente avançado.

A experiência me mostrou neste caso que existem poucos seres evoluídos no planeta que possuem um alto nível de entendimento da realidade e que tem condições de nos orientar verdadeiramente. E como eles nos orientam? É verbalmente? Por sonhos? Como funciona isto?


Agricultura em montanha na China
1. O agricultor supra-humano

O homem, agricultor, aparece na imagem mental em visão remota num campo de agricultura em alguma montanha na China, completamente anônimo, com seus mais ou menos 40 a 50 anos de idade, biotipo baixo e magro, realizando um trabalho comum com um instrumento parecido com um "ancinho", de chapéu típico e fingindo estar realizando o trabalho de agricultura, o homem atua só com exteriorização de energia, modificação vibracional do campo da Terra e movimentação do vento (correntes de vento). A potência energética do homem ultrapassa qualquer Qi Gong que possamos pressupor, onde o mesmo realizava com sua movimentação consciente de energia (Qi) a movimentação conjunta do vento. A assistência era através deste modo silencioso. A sua intenção e volição associada ao controle do movimento conjunto do Qi e do vento estavam seguindo um comando inteligente, onde o homem sabia o que estava fazendo. É a potência Yang manifestando-se.



2. A dona de casa supra-humana

A mulher, dona de casa, exalava seus 30 a 40 anos de idade, vivendo atualmente na região da Europa, parecendo ser Irlanda ou país similar, residindo numa fazenda afastada, mãe de dois filhos, um marido que sabe quem ela é e a sustenta financeiramente, ela, não trabalha, e uma babá lúcida que cuida das crianças e faz a parte maternal (pois a mulher transcendeu a maternidade). A mulher atua cantando no campo, dançando, sozinha. Sua melodia regula vibratoriamente a Terra. A beleza da melodia era tamanha que ela movia a energia através do canto, num profundo balanço Yin, suave, beneficiando todos os seres indiscriminadamente. É a potência Yin manifestando-se. Sua presença é similar (e poderia ser a mesma consciência?) a uma amparadora que apareceu anos atrás que ensinou-me a ciência do amor a partir de seu ensinamento simples: "o amor é o caminho e o sentido, é simples assim, mas difícil de entender".


3. O monge lúcido

O terceiro visto é um monge budista, com seus 50 anos de idade aproximadamente, vestido com as roupas clássicas similares aos do budismo tibetano, com um grupo de monges em situação de aula aberta, na provável na região do Nepal ou por perto. Ele não é famoso e tem um pequeno grupo de monges que aprendem a ciência que ensina. É nível avançado para nós. Nós seriamos superficiais comparados a este grupo. O homem usa o budismo como ferramenta para sua tarefa. É desconhecido e vive isolado num monastério pouco famoso em algum canto da Ásia. Sua lucidez, força presencial, benevolência e grau de entendimento e sabedoria estão acima do que compreendemos. Ele atua no nível do discernimento. É a potência da meditação manifestando-se.


Considerações Finais


A experiência me trouxe a resposta aos meus questionamentos sobre o contato com os míticos mestres no planeta, ou aqueles que poderiam verdadeiramente me ensinar a ciência do Tao, o conhecimento verdadeiro. O acesso a suas presenças é tão obscuro e oculto que ao mesmo tempo estão o tempo todo disponíveis para tal acesso. O simples "ver" suas existências já provoca em mim profundas alterações e sincronizações de entendimento quanto a natureza da evolução. Apesar de meu contato com eles ter sido por visão remota, a sensação de realismo e veracidade da experiência psi-gâmica por si evidencia para mim o caminho correto que sigo, ainda engatinhando e aprendendo a falar. A experiência mostrou que estes seres nos orientam de forma anônima e impessoal.

Dos três, o monge é o único que parece possível de ser encontrado. O homem e a mulher estão dissolvidos no anonimato e não poderia dizer qualquer referência coerente sobre suas localizações. Ele, em algum lugar das montanhas da China, ela em alguma fazenda em algum país europeu. O monge faz parte de um pequeno monastério também em algum local que me parecia o Nepal, mas não tenho certeza. Ele está lá, e é mais acessível para ser achado. Mas convenhamos, a tarefa é quase beirando o impossível. É como procurar agulha em palheiro. Ele não tem fama, pois a fama o atrapalharia. Seu grupo é lúcido e portanto, não espalha e não divulga.

O encontro com seres notáveis como estes me dão a prova de que por trás do caos existente no planeta, manifesta-se a ordem inteligente. Suas naturezas apesar de imensamente diferentes é similar na amorosidade, benevolência e ato assistencial humanitário. Estão além da ciência e já entendem sem precisar pesquisar. Estão numa categoria acima dos espíritos de ciência,  e já podem pertencer mais a categoria dos espíritos sábios. Eles sabem portanto não precisam mais pesquisar. Já entendem a verdade do amor.

A minha conclusão final desta profunda experiência é:

Eles estão aqui!