12.6.18

Sobre a Polêmica Questão das Escolas de Parapsicologia e o Futuro da Parapsicologia

EQM
Experiência de Quase Morte
Fernando Salvino (M.Sc)
Parapsicólogo (FEBRAP/ABRAP/IPCM/ABPCM)
Parapsicólogo Clínico e Psicoterapeuta
Coord. LAC - Laboratório de Autopesquisa da Consciência e do Yôga (Projeto Amanhecer/HU/UFSC)
Projeciólogo e Conscienciólogo independente.
Bel. Direito (Univali); Esp. Educação (Udesc); Mestre em Educação (UFSC).


"A Parapsicologia é a Metapsicologia, a Super-psicologia, a Hiper-psicologia, a mais ampla, a que investiga psi além do normal, do comum, do convencional, do estabelecido rumo a uma nova visão 
cosmológica: a Holocosmologia" 
Fernando Salvino.



A Parapsicologia como toda ciência que se fundamenta na ampla liberdade de manifestação intelectual, científica e livre de censura ou licença, acaba se dissolvendo em várias “Escolas” ou linhas, cada qual com um determinado paradigma e, como a Psicologia, seguindo determinado autor central ou autores.

E sabendo também que toda classificação é até certo ponto dogmática, então peço ao leitor que pondere o texto e relativize o máximo que puder, considerando tal classificação somente um esboço didático para entendermos a multiplicidade da Parapsicologia, tais como:

1. Escola Católica: pode ser considerada a Parapsicologia com muita influência religiosa cristã, católica e que não considera a função psi-theta e psi-ómicron, ficando somente no terreno seguro dos fenômenos mentais físicos. É o caso trabalho do Padre Oscar Quevedo. Devido a contaminação da religião nas pesquisas e dados, teorias e hipóteses que visam explicar os milagres e outros fenômenos tratados pelo catolicismo, até mesmos os “Santos”, a Parapsicologia católica é tendenciosa e não apregoa pela cientificidade predominante, mantendo-se mais fiel a negação e refutação de psi-theta do que a pesquisas propriamente ditas.

2. Escola Espírita: pode ser considerada a Parapsicologia com muita influência da doutrina de Allan Kardec, cujas pesquisas servem em muito para dar espécie de cientificidade à doutrina. Como as pesquisas de Kardec foram em número pequeno, pela seu pouco tempo de envolvimento com a pesquisa, pesquisadores espíritas querem mais embasamento científico, mais provas, como ocorreu com Hernani Guimarães Andrade, que usou o método do médico e parapsicólogo Ian Stevenson no estudo científico da reencarnação em crianças, aqui no Brasil. A tradução de obras parapsicológicas para a língua portuguesa também sofreu a manipulação de alguns espíritas que por exemplo, traduziram a palavra inglesa mind por espírito. O livro de Louise Rhine, por exemplo, deveria se chamar “Canais Ocultos da Mente”, mas acabou por ser traduzido por “Canais Ocultos do Espírito”, puxando para o lado do Espiritismo. A ênfase na mediunidade e no evangelho, sem qualquer questionamento quanto ao tal ensino universal dos espíritos (hipótese de Kardec quanto ao conteúdo comunicado pelos espíritos comunicantes da obra “O Livro dos Espíritos”) colocam a pesquisa espírita limitada aos dogmas kardecistas.

3. Escola Psicológica: é a Parapsicologia que estuda os fenômenos parapsicológicos numa ótica cerebral, da mente fisiológica, sem levar em conta as vidas anteriores (função psi-gama: retrocognição) e as possibilidades psi-theta (relativas à sobrevivência) e mesmo as projeções conscientes para fora do corpo. É representado pelo seu propositor Pedro Grisa, no IPAPPI – Instituto de Parapsicologia e Potencial Psíquico e mesmo Psicólogos Ortodoxos. Aqui ocorre um problema, visto que esta Parapsicologia parece na verdade uma “Psicologia Paranormal”, e não uma Parapsicologia, podendo ser classificada como um tipo de escola anomalística. Pois não é porque se debruça sobre os potenciais da mente e de supostos fenômenos assim ditos paranormais que se trata de uma Parapsicologia. A própria psiquiatria considera tais fenômenos manifestações de transtornos mentais.

4. Escola Anomalística: é a chamada Pesquisa Psi, e visa estudar os fenômenos não parapsicológicos, mas os considerados anômalos. Psicólogos envolvidos no Brasil, Wellington Zangari (USP – Laboratório de Psicologia Anomalística) e, Argentina, Alejandro Parra (Instituto de Psicologia Paranormal). De fato não é Parapsicologia e, sim, um campo da Psicologia dedicado ao estudo convencional dos fenômenos que consideramos parapsicológicos, e que consideram, anômalos.

5. Escola Cética: é a que nega as funções psi, reduzindo-os aos seus fenômenos puramente cerebrais e disfuncionais. Esta escola é talvez a mais radical e religiosa existente. Representam esta escola parapsicólogos tal como: Suzan Blackmore.

6. Escola Transpessoal: é a chamada Psicologia Transpessoal, que é em grande parte uma Parapsicologia que surge da Psicologia, a partir dos trabalhos de Maslow e Stanislav Grof, com as pesquisas com o LSD e Respiração Holotrópica.

7. Escola Conscienciológica: é a chamada Conscienciologia, apresentada por Waldo Vieira, dentro do paradigma por ele definido e baseado em suas obras básicas. Ex-espírita, Waldo Vieira compõe um movimento similar ao movimento espírita, com suas obras básicas e milhares de seguidores pelo planeta. Apesar de fazerem pesquisas, suas pesquisas também tem uma intenção parecida com a pesquisa espírita, a de fundamentar as teses de Vieira, visto que a maioria dos pesquisadores não têm experiências suficientes para argumentar contra ou a favor das obras básicas de Vieira. Esta escola é centrada em Waldo Vieira e como o espiritismo apresenta traços religiosos e científicos nas pesquisas. É um conscienciologismo ou vieirismo.

8. Escola Clínico-Científica: é a escola fundada por Eliezer Mendes, médico, fundador da Parapsicologia Clínica. Embora não sendo espírita, acabou por fundamentar sua Parapsicologia numa abordagem experimental, com equipes de sensitivos treinados e evidenciou vários fenômenos parapsicológicos, e usava as funções psi com finalidade terapêutica. Sua escola é essencialmente científica e clínica, muito embora venha a estudar paralelamente religiões associadas ao curandeirismo e assim por diante. Tem suas bases em Mesmer (no uso da mesmerização e magnetização animal), em Breuer, Freud e cia (no uso da hipnose), e no uso das funções psi (nas transidentificações, etc).

9. Escola Científica Ortodoxa: é a escola assim denominada científica e reconhecida mundialmente e mesmo a partir de algumas instituições, como a PA – Parapsychological Association e Rhine Research Center (Rhine), SPR – Society for Psychical Research (Myers, Lodge, Carrington e cia), Instituto de Metapsíquica (Charles Richet), etc. Aqui temos os pesados Journals da SPR, da PA, do Rhine Research Center e assim por diante. Junto com isto temos a biblioteca de artigos científicos indexados compondo as principais instituições científicas parapsicológicas do mundo. O trabalho destas instituições está na escala dos mais ortodoxos, com raízes acadêmicas, incluindo o Laboratório de Parapsicologia da Duke University e tantos outros laboratórios por várias universidades do mundo.

10. Escola Projeciológica: pode ser chamada de escola, e foi fundada pelo metapsiquista e projetor consciente Sylvan Muldoon, em 1929, o qual inaugurou a ciência que seria chamada futuramente (em 1979) de Projeciologia, por médico, parapsicólogo e então espírita e membro da ABRAP – Associação Brasileira de Parapsicologia, Waldo Vieira. O IIPC – Instituto Internacional de Projeciologia e COnscienciologia é, em tese, a instituição científica da área, porém não é. O IIPC não faz mais pesquisas, ficando tão somente ao cargo do CEAEC – Centro de Altos Estudos da Conscienciologia, e sua Revista Conscientia, onde se publicam artigos. Aqui os fenômenos parapsicológicos estão atrelados aos fenômenos relativos à projetabilidade e descoincidência dos corpos. Nesta escola temos os vários e vários cientistas da Projeciologia, cada qual em seu canto investigativo, publicando achados, compartilhando vivências extracorpóreas e realizando as pesquisas de campo e mesmo as exploratórias pela internet. Para Vieira, a escola projeciológica está associada à conscienciologia. Para Muldoon, à metapsíquica, ou atualmente, a Parapsicologia.

11. Escolas Alternativas: são os parapsicólogos que misturam as práticas do Sufismo, Taoismo, Xintoismo, Jainismo, Budismo, Yôga, Ocultismo, Teosofia, Antroposofia, Xamanismo, Numerologia, Cabalismo, Esoterismo (incensos, talismãs, pedras, patuás, colares, anéis, rituais, magias, tarot, i ching, etc) com pouco ou sem critério de cientificidade e uma integração científica coerente e descontaminada do misticismo e religiosidade. Lembramos aqui que a Parapsicologia é uma ciência e não religião, seita, esoterismo, etc. A parapsicologia dá ênfase à consciência e seus poderes mais transcendentes e não transfere tais poderes a objetos inanimados. Aqui estão os Parapsicólogos que importam modelos das linhas do saber acima sem averiguação científica, sem testes de modelos, sem experimentações, sem cientificidade. De fato, esta escola não pode ser considerada Parapsicologia e sim uma reunião de saberes coletados sem pesquisa científica e sistematizados com pouca coerência e apresentados ao público como sendo Parapsicologia. É esta Parapsicologia que consta no CBO – Código Brasileiro de Ocupações, no Brasil, infelizmente.

12. Escolas Orientais: são pesquisadores que não se denominaram e nem se denominam parapsicólogos, porém, pesquisam cientificamente campos associados à Parapsicologia, como os praticantes e estudiosos do Qi Gong, Tai Chi Chuan, Nei-Dan, Yôga, e os conhecimentos antigos passados de geração a geração do Exorcismo Taoista e de toda uma ciência (embora com aspectos "mágicos") para lidar com espíritos, entidades e a própria evolução pessoal através do autodesenvolvimento da função psi. Variados fenômenos são encontrados na casuística oriental, como casos de reencarnação, levitação, fenômenos da ordem da energia (Qi), dentre outros.

13. Escola Ufológica: é a que se dedica a relação entre fenômenos ufológicos com parapsicológicos, como no uso de hipnose para a regressão de casos de abdução alienígena e de avistamentos de UFOs, ou nas tentativas, por exemplo, do General Uchoa em estabelecer contato telepático com aliens, até os supostos contatos de canalização com o suposto Comando Ashtar Sheran, Fraternidade Branca e supostos mediuns que dizem canalizar aliens ao vivo e inclusive dão palestras aos terráqueos (Mônica Medeiros e Gilberto Pinheiro, por exemplo).

14. Escola Holística ou Integral: é a escola que necessita surgir, de natureza científica e clínica, porém, de paradigma mais extenso, aberto, transdisciplinar, visa a inclusão e interligação das várias Escolas de Parapsicologia e demais ramos da ciência num sistema coerente, integrativo, unificado.


Em resumo, estamos longe ainda de uma Parapsicologia sistematizada e coerente. Estamos diante do mesmo problema da Psicologia, pulverizada por várias e várias escolas, de Freud a Pavlov. Porém uma luz no túnel parece surgir com iniciativas como a Psi Encyclopedia (clique aqui), cujo trato amplo da Parapsicologia ou Pesquisa Psíquica está retornando ao campo científico. Acredito que o próximo passo será a inclusão coerente da pesquisa psíquica já feita na Índia e China, com as práticas de deflagração de funções psi através do Yôga, Qi Gong, Tai Chi Chuan e mesmo outras práticas. Esta é a proposta do LAC - Laboratório de Autopesquisa da Consciência e do Yôga, na fusão coerente dos saberes orientais, indígenas com as modernas investigações da consciência associadas a autoexperimentação parapsíquica e meditativa e autoconhecimento. É inevitável que os Parapsicólogos comecem eles mesmos a experimentarem, a fazerem de si mesmos cobaias de autoexperimentos no campo parapsicológico, para conhecerem os fenômenos vivencialmente. As caracteristicas da imprevisibilidade do fenômeno psi é relativa e a prática de Yôga e Qi Gong por exemplo, demonstram isso. É possível induzir e vivenciar. A meditação profunda, seja indiana ou chinesa, também induzem psi. E psi é algo natural para as linhas orientais citadas, inerente.

O preconceito e a ignorância pela falta de informação e vivência produz as diversas linhas da Parapsicologia.

Algumas iniciativas interessantes:

Internacional Journal of Yoga - Philosophy, Psychology and Parapsychology (clique aqui)
Psi Research in China (clique aqui).

A Parapsicologia é a Metapsicologia, a Super-psicologia, a mais ampla, a que investiga psi além do normal, do comum, do convencional, do estabelecido.


0 comentários:

Postar um comentário

Caro(a) leitor(a), seu comentário é bem vindo!