21.5.12

Coragem para Ser, Coragem para Evoluir, Coragem para Agir

Coragem para Ser ou Individuação
Por Dr. Fernando Salvino
Parapsicólogo Clínico e Psicoterapeuta




Sobre a Coragem e a Evolução

Muito se tem falado em doenças, como pânico, medo, depressão, solidão, estresse, transtornos de muitas naturezas e assim por diante, sem falar nas doenças psicossomáticas e auto-imunes de difícil resolução. De qualquer maneira pouco, mas muito pouco se fala justamente nos atributos ou qualidades que impulsionam a pessoa humana a evoluir, a seguir adiante, para novos patamares de evolução e maturidade, felicidade e autorrealização. Pouco se fala que, para sermos é necessário nos singularizarmos, sermos quem somos, assumirmos nossa singularidade dentro do coletivo. Para isso, é necessário muita coragem.

Num século de ansiedade e medo, talvez nunca em toda história humana a coragem tenha se tornado a qualidade matriz que pode nos impulsionar para adiante mesmo estando todos nós vivendo num momento social de disfunção ética generalizada e violência.

Pois sem a coragem não existe a possibilidade do êxito, de prosseguir, de tentar, de arriscar. Sem a coragem existe o espaço para a lamúria, a lamentação e a queixa contínua. A coragem tanto serve para romper como para permanecer. Coragem é aquilo que nos faz permanecer em situações difíceis, embora necessárias, e romper situações desnecessárias que temos dificuldades de sair. Coragem é a potência do ser em ato, em ação, dirigida com intenção para aquilo que desejamos para nossas vidas.

Do ponto de vista da educação e especialmente da pedagogia (educação de crianças) e andragogia (educação de adultos), a coragem é qualidade difícil de ser ensinada, em virtude da própria constituição autoritária do ensino, que cultivou durante muitos séculos a punição, a ameaça como forma de obtenção de resultados de aprendizagem e dentro da família, devido a incapacidade dos pais em educarem os filhos de forma madura, acabam reproduzindo o autoritarismo da educação pelo medo, pela crítica excessiva, gerando rejeição e o medo de sermos quem somos.

Sociologicamente, a coragem é desestimulada na medida em que as individualidades são castradas em suas singularidades, tornando o homem um ser com personalidade fraca, com medo da vida e principalmente, com medo de si mesmo. O medo de si mesmo, portanto, é o oposto da coragem de sermos quem somos.

A coragem é qualidade de quem tem firmeza de espírito para enfrentar situação emocional ou moralmente difícil (Houaiss), assim como a qualidade de quem tem grandeza de alma, nobreza de caráter, hombridade (Houaiss). Pode ser definida ainda como a moral forte perante o perigo, os riscos. A situação emocional ou moral difícil inclui o enfrentamento do medo, dor, perigo, incerteza, intimidação, o vazio existencial, as incertezas da vida, a corrupção, os desvios de caráter e assim por diante.

Podemos ainda compreender a coragem como a confiança que um homem tem em momentos de temor ou situações difíceis, enfrentando a situação de frente, sem recorrer a fugas ou outros recursos já dispensáveis.

Relações da Coragem com Outras Qualidades: Para Autofrentamento

1. Coragem e Princípios: para o homem ter coragem é necessário que tenha princípios. Sem princípios cairá ele mais facilmente nas armadilhas da sedução e poderá estar em perigo, pela falta de discernimento.

2. Coragem e Discernimento: sem discernimento, sem saber para onde ir, sem ter uma maturidade relativa para escolher qual caminho prosseguir, a pessoa torna-se fraca, pela indecisão. Um homem indeciso é um homem sem coragem, pois a coragem vem da capacidade potente de discernir, de exercer o livre-arbítrio e prosseguir adiante.

3. Coragem e Confiança: se o homem nutre a desconfiança, ele nutre o medo. Sem confiança relativa um homem não consegue ser corajoso. Só aquele que confia consegue nutrir a coragem dentro de si e agir para adiante.

4. Coragem e Desapego: se o homem é apegado demasiadamente às coisas, a seu mundo, a sua rotina, à si mesmo, ele torna-se medroso. Somente um homem mais desapegado é capaz de ser corajoso. Ir adiante significa se desapegar do hoje e caminhar para o futuro.

5. Coragem e Evolução: evoluir exige coragem. Para reencarnar é necessário coragem. Para estar no planeta é  condição a coragem. Mudar a si mesmo exige coragem. Pedir perdão, exige coragem. Admitir nossos erros, exige coragem. Conhecer a si mesmo exige coragem. Lembrar quem somos exige coragem. Chorar em catarse emocional exige coragem. Bom humor exige coragem. Sexo exige coragem. E para amar é necessário muita coragem. Ser pai ou mãe exige coragem. Ser adulto exige coragem. Para morrer é necessário enfrentarmos a morte no dia a dia, e isso exige coragem. Evoluir é um empreendimento para corajosos e para desenvolver a coragem.

6. Coragem e Relacionamentos: o contato com o outro exige coragem. Os relacionamentos conjugais são situações que exigem muita coragem. Coragem para falar e ouvir, para ir e retroceder, para em alguns momentos gritar, e noutros calar-se. Coragem para abraçar, para acalentar, para ser o pai no momento necessário, e ser a mãe quando for a hora certa. Ao mesmo tempo, negar ser o pai e a mãe quando assim for necessário. Para dizer "não" é necessário coragem, porque um "não" pode levar ao rompimento, e sem coragem, ficamos predispostos aos abusos nos relacionamentos e ao medo da solidão. Sem coragem não nos defendemos de ofensas, sem coragem não conseguimos ter autodominio nos momentos necessários.

7. Coragem e Morte: a morte é a certeza das certezas. Ao nascer já começamos a morrer. A contagem regressiva começou, são 60..70...80..90 anos em média. Para viver, sabendo que iremos morrer, é necessário muita coragem. Pois para viver, sabemos que precisamos ter coisas, comprar coisas, criar laços de afeto com as pessoas, familiares, amigos e, sabemos que iremos morrer. Viver sabendo que iremos morrer e deixaremos tudo e tudo aqui, coisas e afetos, é necessário muita, mas muita coragem.

8. Coragem e Vida: a vida é o que existe. Mesmo após a morte a vida prossegue. Então, prossegue até quando? Não sabemos, mas provavelmente é Infinito. Para incluirmos o Infinito em nossas mentes, o de que sempre existiremos e sempre estaremos caminhando adiante para um futuro sem fim, é necessário muita coragem. Porque a cada vida tentaremos nos apegar às coisas e pessoas como forma de nos fixar, por causa do medo de morrer, de largar, o apego. Para evoluir e para viver é necessário muita coragem.

9. Coragem e Sinceridade: para sermos sinceros é necessário coragem. Sem coragem o que ocorre é a hipocrisia, o acobertamento, a falsidade, o ocultamento de coisas que precisam ser faladas e expressas. A sinceridade é um sintoma da coragem e do destemor perante a censura, e o medo de represálias diante de nosso direito de sermos quem somos e existirmos.

10. Coragem e Amor: sem amor, a coragem pode matar. Sem amor, palavras sinceras podem ser mísseis que ferem a outra pessoa. Sem amor, a coragem torna-se força sem rumo, perigosa.

Agora com coragem, responda para si mesmo as 3 seguintes questões:

- Qual a análise que você faz de si mesmo sobre a sua coragem, avaliando-se a partir dos 10 tópicos acima citados?

- Que benefícios já conseguiu em sua vida quando esteve mais corajoso(a)?

- No atual momento de sua vida está lhe faltando coragem para assumir alguma coisa que deseja muito? Que coisa é esta e como pode puxar de dentro de si a coragem necessária? Existe ainda alguma coisa em que se apega ou se esconde, e favorece o seu medo? Qual sua conclusão?

0 comentários:

Postar um comentário

Caro(a) leitor(a), seu comentário é bem vindo!