7.10.11

Cosmoprojeciologia: Investigação Cosmológica através da Projeção da Consciência para fora do Corpo Humano

Cosmoprojeciologia: Exoprojeção
Por Dr. Fernando Salvino (MSc.)
Parapsicólogo Clínico, Psicoterapeuta, Conscienciólogo
NIAC - ABRAP


Introdução

O artigo "Gênese do Cosmodireito: Ensaio sobre os Fundamentos da Ordem Cósmica", publicado há anos atrás, parece-me o início de uma real preocupação minha a respeito das limitações da moderna Cosmologia, especificamente, a Cosmologia matemática e a que se limita ao modelo centrado num universo físico, embora mesmo tal modelo admita matematicamente, multiversos e múltiplas dimensões, chegando a mais de 10 dimensões, como na teoria das cordas. Minha procupação básica é abrir as portas da Cosmologia experimental, do ponto de vista do próprio instrumental existente na constituição bio-psíquica humana, estrutura esta de magnitude cósmica que viabiliza as experiências fora do corpo, verdadeiro buraco de minhoca natural que possibilita a consciência entrar, literalmente, em outra dimesão e outra estrutura espaço-temporal. Recurso barato, econômico e não desperdiça recursos naturais nem direciona recursos que poderiam ser aplicados para o tratamento da desnutrição africana e brasileira e demais países pobres, para o financiamento de construção e experimentos absurdamente antiecológicos, como os colisores e outras tecnologias.

Da mesma forma que o ser humano usa sua consciência para criar um instrumento que possibilita a observação cosmológica de mais de 40 bilhões de anos-luz adiante, ou seja, o universo até agora observado (raio de observação da Terra), este mesmo ser humano tem em si mesmo, sua consciência que pode, a partir de condições de potente alteração, expandir-se cosmologicamente e acessar os confins do cosmos e diante disso, realizar explorações de ampla magnitude e fazer ciência de tal realidade.

As limitações da Cosmologia embora pareça-me avançada do ponto de vista das explorações das radiações de fundo, especulações a respeito do suposto Big Bang, há mais de 15 bilhões de anos atrás, e mesmo as modernas teorias multidimensionais, que as acompanho de perto, embora com as minhas limitações cognitivas, pois me percebo realmente incapaz de compreender a matemática avançada envolvida. Mas, meu intuito não é a de compreender como meus colegas físicos chegam em tais e tais resultados. Mas, interesso-me nos resultados, enquanto que minha capacidade adentra na experienciação direta de um universo multidimensional e de minha própria realidade multidimensional.

I - Da possibilidade de uma Cosmologia experimental pela projeção da consciência para fora do corpo humano

A Cosmologia Projeciológica ou como proponho a Cosmoprojeciologia, é o campo da ciência cosmologia em sua conexão interdisciplinar com a projeciologia, que visa realizar investigações cosmológicas a partir do estado projetivo da consciência, ou seja, nas condições extracorpóreas, incluindo aqui as projeções avançadas pelo corpo mental isolado até a condição da irradiação cosmoconsciencial: a cosmoconsciência.

Este campo de investigação poderá comprovar tranquilamente a existência prática dos buracos de minhoca. Sabemos que as EQMs ou experiências de quase morte são, na ótica projeciológica, projeções conscientes desencadeadas por fatores acidentais ou patológicos, sendo uma projeção forçada, mas que nos dão evidências muito interessantes a respeito dos buracos de minhoca, como são relatados os túneis de luz branca que muitos e muitos relatam em suas viagens interdimensionais.

As projeções pelo corpo mental isolado evidenciam a realidade da cosmoconsciência, verdadeiro rompimento com toda e qualquer estrutura espaço-temporal, situando a consciência num universo de dimensões meta-galácticas, estelares e quásares, experimentalmente, a partir da experiência de diluição no "éter" cósmico ou na "espuma quântica", irradiação cosmolúcida de dimensões colossais próximas daquilo que podemos chamar de Infinito. Neste estado de consciência, a personalidade percebe-se como pura consciência sem corpo, no entanto, viva e hiperlúcida. O espectro eletromagnético da energia nesta condição não consta na escala atualmente utilizada pela cosmologia. A frequencia é cósmica, puro zuvuya.

As explorações cosmológicas através da condição extracorpórea da consciência possibilitam acessos muito mais amplos que a cosmologia tenta alcançar através da hipertecnologia física, tais como:

1. Contato direto com a exobiologia ou a existência real, objetiva, das comunidades inteligentes extraterrestres, inclusive acesso a linguagem, intenções e tecnologia.
2. Contato direto com a paraexobiologia, com a existência real, objetiva, dos extraterrestres projetados fora do corpo ou vivendo tão somente na condição extracorpórea, extrafísica.
3. Acesso às dimensões metacósmicas pelas projeções pelo corpo mental isolado e as experiências de cosmoconsciência, possibilitando o exame direto, experiencial, da velocidade acima da luz, aberturas de buracos de minhoca e travessias para outras dimensões do universo ou outros universos.
4. Exame da estrutura de estrelas a partir do vôo direto pelo mentalsoma numa velocidade acima da luz.
5. Constatação direta da teoria dos psicons, a partir da vivência direta da projeção pelo corpo psíquico puro, ou o mentalsoma (consciência), verdadeiro gerados de ondas psicônicas.
6. Constatação direta da fisiologia multidimensional do cosmos e da fusão entre consciência e energia dentro da investigação da origem do universo, ou o Big Bang.
7. Expansão da cosmologia para uma cosmologia que integra necessariamente a consciência como uma estrutura básica, essencial, do cosmos e de sua natureza pluriuniversal e pluridimensional.


II - Dos Experimentos Cosmoprojeciológicos: alguns casos experimentais

A ciência aqui trabalhada opera com metodologia qualitativa, especificamente o método da autoexperimentação, tal como apresentado por Sylvan J. Muldoon. Os casos abaixo, todos são autoexperimentos realizados por diversos projetores conscientes e pesquisadores ao mesmo tempo.

Caso 1: leia aqui, experiência pessoal.

Caso 2: leia aqui (páginas 111 e 112), experiência do Dr. Waldo Vieira, médico e conscienciólogo.

Caso 3: leia aqui (páginas 112 e 113), experiência do paciente do Dr. Stanislav Grof, médico e psiquiatra.

Caso 4: leia aqui (página 113), experiência de Juan Matos, xamanismo yaqui, maia, sobre cosmoconsciência.

Caso 5: leia aqui (página 116), experiência do Dr. Stanislav Grof, médico e psiquiatra, sobre cosmoconsciência e explorações galácticas e outras vivências cosmológicas.

Caso 6: leia aqui (páginas 118 e 119), experiência do Dr. Geraldo Medeiros, fundador da bioenergopatia.

Caso 7: leia aqui, experiência pessoal (sobre o universo sem gravidade e técnica)

Caso 8: leia aqui, (páginas 11 a 13), experiência pessoal (sobre o universo sem gravidade e técnica de exoprojeção da consciência para fora da Terra).

Caso 9: leia aqui, experiência pessoal (sobre viagens no tempo intraconsciencial e exploração cosmológica através da memória)

Caso 10: leia aqui, experiência pessoal (sobre exoprojeção para fora da Terra e explorações cosmológicas)


Considerações gerais

Creio que haverá um momento em que os limites da tecnologia e da situação ecológica do planeta servirão de obstáculo para a aplicação e continuidade ao desenvolvimento das megatecnologias como os aceleradores de partículas e outros equipamentos, verdadeiros gigantes consumidores de milhões de litros de água e quantidades colossais de energia elétrica para a manutenção e funcionamento. Os resultados de tais experimentos são precários comparados aos impactos ecológicos e sociais, como o uso de toda esta quantidade de água e energia, quando milhares e milhares de pessoas, crianças, jovens e adultos, passam situações de pobreza extrema, cujo dinheiro, água e energia poderiam ser desviados para os projetos sociais humanitários, enquanto a cosmologia poderia ser investida nos campos da consciência, campo este, ecológico e com uso de energia limpa: a energia consciencial.

Os limites da tecnociência e seus impactos socio-ecológicos são evidentes. A tecnologia da consciência pura, cujo instrumental é a própria condição multidimensioal das manifestações extracorpóreas, multidimensionais, poderá ser alternativa definitiva para a evolução da ciência e da sociedade, com pegada socio-ecológica leve e com resultados eficientes, em respeito às verdadeiras prioridades do planeta. Não podemos deixar a ciência à deriva devido a situação da miséria planetária, mas não podemos deixar a miséria ao relento para o desenvolvimento de uma ciência inconsequente e sem qualquer preocupação maior que o narcisismo nobelista.

A prioridade do planeta é sanarmos os problemas básicos de saúde pública, higiene e limpeza, reurbanizações de favelas, geração de oportundiades, incentivo ao voluntariado extensivo e humanitário, financiamento de projetos sociais em larga escala, nutrição em larga escala na África, Brasil paupérrimo e outros países em condições subumanas. O desenvolvimento da ciência avançada precisa caminhar junto com a ética e com as prioridades humanitárias, sem que seu desenvolvimento prejudique a execução de projetos que vão ao alcance das prioridades socio-ecológicas máximas: a saúde ecológica, a saúde mental e outras.

A Cosmoprojeciologia é uma ciência limpa, ecológica e com pegada socioecológica leve. Seu desevolvimento se dá a partir de um "acelerador de partículas", barato e gratuito: o corpo humano e a consciência multidimensional. A partir desta base, o projetor sai do corpo e inicia uma exploração sem limites, cujo raio de expansão caminha para um universo transcendente e multidimensional, experimentalmente falando, indo além da matemática e das fórmulas de demonstrações teóricas.

0 comentários:

Postar um comentário

Caro(a) leitor(a), seu comentário é bem vindo!