5.12.12

Evidências Experimentais de TCI - Transcomunicação Instrumental em Experimento Parapsíquico Retrocognitivo Através de Registro Comprovado de Voz Eletrônica e Relato Qualitativo

Holocosmologia
Por Dr. Fernando Salvino (MSc)
Parapsicólogo, Psicoterapeuta, Projeciólogo, Conscienciólogo
NIAC - Núcleo de Investigações Avançadas da Consciência (Coordenador)
LAC - Laboratório de Autopesquisa da Consciência (Coordenador) - HU/UFSC/Projeto Amanhecer
Parapsicólogo habilitado pela Federação Brasileira de Parapsicologia (FEBRAP/ABRAP) - Drs. Carlos Alberto Tinoco e Geraldo Sarti.
Membro ABPCM - Associação Brasileira de Parapsicologia e Ciências Mentais



Dr. Guilherme Kilian (revisão técnica)
Parapsicólogo e Pesquisador
NIAC - Núcleo de Investigações Avançadas da Consciência (Coordenador)
Parapsicólogo habilitado pela Federação Brasileira de Parapsicologia (FEBRAP/ABRAP) - Drs. Carlos Alberto Tinoco e Geraldo Sarti.
Membro ABPCM - Associação Brasileira de Parapsicologia e Ciências Mentais




I - Das Considerações Introdutórias

O presente intento cosmoeticamente inicia pelo agradecimento ao LGVE - Laboratório de Gravações de Vozes Eletrônicas, na pessoa dos parapsicólogos e especialistas Carlos Cesar, André Luiz, André Paciornik e Jefferson Gasparim - Faculdades Integradas Espírita - Paraná/Br e, ao meu amigo e irmão cósmico de evolução, o parapsicólogo Guilherme Kilian, revisor deste e, por ter a acuidade e a paciência de ter atentamente escutado toda a gravação até acusar a voz eletrônica aqui comprovada pela análise técnico-laboratorial. Sem os esforços desta equipe este ensaio tornar-se-ia inexistente.

O ensaio que se segue é a continuidade do ensaio intitulado "Sobre o Acesso Experimental ao Holocampo Cosmológico: Do Primeiro e Segundo Experimento Laboratorial - Acesso ao Último Período Intermissivo" (clique aqui), especialmente o segundo experimento laboratorial, o qual seguiu-se uma série de fenômenos parapsíquicos complexos à descrição fenomenológica, ou melhor, parafenomenológica. Então, convido o leitor antes de prosseguir neste ensaio que possa estudar com calma o ensaio acima citado.

II - Da Contextualização dos Fatos Experimentais

Conforme consta no ensaio:

"Antes do experimento verificou-se resistência de ambos para o início propriamente dito, onde ficaram se descontraindo com conversas leves e engraçadas, encobrindo evidente ansiedade pré-experimento, o que nos parece normal e previsível; não estávamos preocupados com o tempo e sim com o momento, com a criação de campo apropriado. Em dado momento, preparamos o laboratório para o experimento. O experimentador deitou-se no divã, acomodou-se de forma relaxada e o facilitador começou a conduzir o relaxamento inicial, com hipnose. O experimentador apresentou na primeira fase do relaxamento certa resistência a entregar-se ao campo, o que foi corrigido com estratégias de relaxamento e condução direcionada e intuída para o acesso posterior ao holocampo. É importante esclarecer que este experimento já continha insights do experimento anterior e o mesmo fora dirigido para o holocampo, especialmente, o período intermissivo.

Após ultrapassarmos a barreira energética do experimentador, inconsciente, o mesmo adentra em estado ampliado de consciência. Em dado momento ocorre intuição de exteriorizar energia conjuntamente com a condução verbal, hipnoterápica, do experimento. O experimentador adentra em situações de sua vida presente e algo que me pareceu realmente impressionante ocorre quando o mesmo localiza-se com 2 anos de idade. Uma alteração súbita no campo de energia do laboratório ocorre e começo a visualizar a presença de inteligência extraterrestre no campo. A presença denota potente força presencial e altera a lucidez do ambiente inteiro. Desde momento em diante entro em transe consciente e permaneço irradiando energia e percebendo o campo. Ao expandir minha consciência em estado de transe lúcido, consigo ouvir vozes de personalidades intrusas do experimentador que atuavam como agentes impeditivos do experimento. Meu estado de serenidade contínua e lucidez ininterrupta manteve o campo saudável e estável o tempo inteiro, impedindo a intrusão e mantendo o experimentador isolado energeticamente em seu microcosmo consciencial interno, viabilizando o experimento no isolamento laboratorial adequado.

A intensificação do campo foi aumentando e fiquei impossibilitado de registrar qualquer coisa por escrito, devido à necessidade de manutenção do campo para viabilizar o acesso ao holocampo cosmológico através da retrocognição do período intermissivo. A hipótese era a mesma praticamente para ambos: algo ocorreu neste período para tornar nossas vidas tão diferentes das anteriores.

O experimentador relata realidades extraterrestres e adentra em sua origem extraplanetária, doutra orbe cosmológica, estando aqui para dar continuidade a sua tarefa de vida. As sensações de descolamento existencial, interesse pelos campos da alta cosmologia da consciência, projeciologia, alta tecnologia, são corroborados pelo experimento. Aqui saliento o traço mais evidente da personalidade de meu amigo, sua fecundidade mentalsomática, capacidade de compreensão de conceitos, profundidade do pensamento e cosmovisão inata. Estes traços confirmaram a existência pré-genética cosmológica e cosmopolita. O estado de consciência do experimentador foi de serenidade e lucidez ininterrupta em todo acesso ao holocampo.

A relação entre retrocognição intermissiva, acesso ao holocampo cosmológico e projeção de mentalsoma ou psi-P, parecem mais uma vez evidenciadas no experimento. Ambos, experimentador e facilitador, terminam o experimento em estado expandido de consciência, com descoincidência do mentalsoma, expansão do coronochacra variando de 0,5m a mais de 1m acima da cabeça, verdadeiro cone energético aberto.

O experimento evidencia, embora estes dados não sejam mensuráveis qualitativamente, que os acessos ao holocampo provocam modificações no cérebro e no sistema nervoso integral do experimentador e mesmo do facilitador a partir da modificação e rememoração ocorrida num metanível consciencial, cosmológico e a repercussão direta, sadia, nos sistemas fisiológicos. Ambos terminam o experimento em estado de bem-estar e serenidade, euforia tranqüila e confiança absoluta no cosmos. Este estado permanece operando durante alguns dias e aos poucos vai se dissolvendo conforme voltamos a nos enraizar nas tarefas do dia a dia de cada um, a profissão, a família, os afazeres, etc. Esta dissolução parece ser da mesma natureza que o esquecimento de nossa origem, em virtude de estarmos em campos de dimensões muito distantes.

2.2 Relato escrito

Devido à tentativa de gravação do experimento, não houve a possibilidade de realização do relato escrito. O exame da gravação e a qualidade ruim como possíveis distorções de voz, impediram um entendimento acurado da gravação. Apesar deste fato, no decorrer da gravação, foi possível a audição de suposta voz dizendo “estamos chegando”. Por considerarmos possível evidência de transcomunicação instrumental (TCI) submetemos pedido ao Instituto de Pesquisas Avançadas em Transcomunicação Instrumental para análise técnica da gravação, de forma a evitarmos crenças e suposições místicas."

Diante do exposto, venho citar somente o trecho acima grifado, tal como segue:

Uma alteração súbita no campo de energia do laboratório ocorre e começo a visualizar a presença de inteligência extraterrestre no campo. A presença denota potente força presencial e altera a lucidez do ambiente inteiro. Desde momento em diante entro em transe consciente e permaneço irradiando energia e percebendo o campo. Ao expandir minha consciência em estado de transe lúcido, consigo ouvir vozes de personalidades intrusas do experimentador que atuavam como agentes impeditivos do experimento. Meu estado de serenidade contínua e lucidez ininterrupta manteve o campo saudável e estável o tempo inteiro, impedindo a intrusão e mantendo o experimentador isolado energeticamente em seu microcosmo consciencial interno, viabilizando o experimento no isolamento laboratorial adequado.

Conforme colocado anteriormente, após o exame da gravação foi constatado uma voz eletrônica diferente do padrão usual da voz exposta na gravação, o qual acabamos por contatar o parapsicólogo e especialista em pesquisa sobre TCI, Carlos César, coordenador do LGVE - Laboratório de Gravação de Vozes Eletrônicas que se prontificou a examinar o material de gravação. Através de correspondência por email foi nos entregue o relatório o qual pode ser acessado na íntegra aqui.

O relatório aponta as seguintes conclusões:

"Em relação ao 1º áudio:
É perfeitamente audível e perceptível a anomalia cuja duração dá-se em torno de 2s;
A anomalia apresenta-se limpa, sem distorções e livre de interferência eletromagnética, mas sujeita a interferência mecânica do som de fundo.
A anomalia possui características de voz masculina.
Esta tem em seu início um pico e segue de modo decrescente. (Imagem 01/02.)

Escute aqui o primeiro áudio

Em relação ao 2º áudio:
Percebe-se durante toda a gravação um som de fundo que pode ser caracterizado como sendo de uma melodia; 
É claramente percebida a vocalização de um dos experimentadores presentes no ambiente de gravação;
Tanto a melodia quanto a vocalização do experimentador apresentam-se levemente distorcidas, dando verniz de voz metalizada a este último.
É claramente perceptível a anomalia nos segundos 18 e 19 da gravação, cujo tempo total de duração é de 37 segundos.
Chama a atenção o fato da anomalia em questão não apresentar sinais de distorção característicos da interferência por eletromagnetismo.

Escute aqui o segundo áudio

Analisando-se o contexto da gravação sugere tratar-se de uma captação autêntica de EVP a nível perceptual com característica Limiar¹, segundo classificação de Euvaldo Cabral Junior ², o qual define fenômeno físico em TCI aquele que uma vez gravado não se altera com o passar do tempo e é entendido da mesma forma por mais de um auscultador. Por outro lado, fenômeno perceptual em TCI é aquele gerador de interpretações ambíguas ou quando todos os auscultadores escutam coisas diferentes."


III - Da Análise Conjunta do Relato Experimental, Qualitativo, com a Análise Laboratorial, Quantitativa

O fenômeno embora perceptual sugere relação direta com o contexto grifado do experimento, no relato qualitativo supra exposto. Em análise qualitativa e comparativa com a confirmação laboratorial de TCI, temos que sugerimos que a voz eletrônica confirmada tem relação direta com o trecho grifado, ou seja, com a percepção direta de amparabilidade extraterrestre cuja voz sugere ser algo parecido como "estamos chegando".

O contexto do fenômeno parapsíquico percebido e vivenciado por mim no experimento, como facilitador, remete a presença de inteligência de procedência não humana, extraterrestre e, a fala sugere ser desta inteligência.

Por outro lado, mesmo em se tratando de experiência parapsíquica, em nenhum momento escuto via clariaudiência o conteúdo específico da fala, que aparece somente na gravação eletrônica. O contexto coincide em tempo com a experiência de alteração de campo acima narrado. O contexto narrado acima das vozes audíveis por mim refere-se a consciências extrafísicas sem qualquer participação direta do experimento, que ficaram com sua influenciação anulada devido ao intenso campo amparador de energia e intencionalidade cosmoética formada (embora tais dados permaneçam somente no meu campo enquanto narrador da autoexperimentação, baseado no método de Muldoon).

As vozes, embora não pudesse saber exatamente o que falavam, apenas sentia, denotavam intencionalidade negativa de intrusão Θ, theta (personalidade intrusa - MENDES, Eliezer), não relacionado ao campo percebido por dentro, portanto, fora da zona de influenciação negativa das personalidades intrusas.

Partindo deste pressuposto, portanto, descarto a possibilidade das vozes terem procedência externa ao campo positivo gerado. A formação do campo de sintonia com o holocampo cosmológico que viabiliza o acesso retrocognitivo do experimentador favorece assim o fenômeno PK tal como aqui colocado e o que veremos a seguir.

IV - Das Conclusões Preliminares e Hipóteses para Futuras Pesquisas

O relatório comprobatório de TCI, confirmando ser voz eletrônica captada em experimento retrocognitivo, pelo Laboratório de Gravação de Vozes Eletrônicas - LGVE, faz verídica a voz e, em análise comparativa com o experimento, em termos de relato qualitativo do facilitador, temos que a voz e o tempo que em aparece, coincide com a percepção de alteração de campo para captação de presença, via clarividência, de inteligência de procedência extraterrestre, ficando a comunicação sonora da inteligência extrafísica inaudível pelo facilitador, porém, captada pela aparelhagem eletrônica, via laptop e programas de gravação comuns baixados na internet.

O fenômeno parapsíquico que se relaciona com a viabilidade experimental de uma voz cuja procedência encontra-se numa inteligência extrafísica, pode ser classificada como PK - psicocinesia, ação da mente da inteligência theta, consciência extrafísica, através de meio psico-bio-eletromagnético, sobre a matéria, ou seja, os instrumentos físicos de captação de áudio.

A forma como a onda mental, especialmente, a frase emanada pela inteligência theta se converte em fraseamento captado como onda sonora pelo instrumento físico eletrônico nos leva ao fenômeno da transdução de uma onda mental irradiada por telepatia para uma onda sonora, cujo meio transdutor é justamente o campo de energia consciencial formado ao londo do experimento, campo este multifrequencial e em hipótese, viabilizador do meio de transdução de onda mental em onda sonora.

A hipótese de transdução da informação telepática proveniente da inteligência theta - consciência extrafísica - em onda sonora através de meio psico-bio-eletromagnético (campo de energia consciencial) parece-nos a mais indicada para indução de novos experimentos e viabilizador de novas TCIs como complementos experimentais das vivências subjetivas, qualitativas e fenomenológicas, do parapsiquismo direto. O investimento em tecnologia, incluindo uma melhoria significativa na captação de áudio (microfone profissional), software profissional e câmara de vídeo HD poderá incluir não somente vozes eletrônicas mas as aparições durante o experimento. Como hipótese, o mesmo meio que viabiliza a transdução de onda telepática mental em onda sonora também poderia viabilizar a transdução dos para-fótons da imagem extrafísica da inteligência theta em fótons visíveis enquanto aparição captada pela câmara. Tais recursos podem ser complementares nas investigações parapsíquicas das induções de acesso ao holocampo cosmológico por métodos tais como os que foram descritos no ensaio intitulado "Esboço de uma Metodologia Cosmoprojeciológica para a Holocosmologia e Outras Reflexões" (clique aqui).


0 comentários:

Postar um comentário

Caro(a) leitor(a), seu comentário é bem vindo!