3.12.12

Ensaio Geral Sobre os Conselhos de Calibração Cosmológica e Implicações no Cosmodireito e Cosmojurisdição Holodimensional Evolutiva, Cosmotransdução e Outros Assuntos

Conselhos de Calibração Cosmológica

Por Dr. Fernando Salvino (MSc)
Parapsicólogo, Psicoterapeuta, Projeciólogo e Conscienciólogo
NIAC - Núcleo de Investigações Avançadas da Consciência - Coord.
LAC - Laboratório de Autopesquisa da Consciência - Coord. (HU/UFSC/Projeto Amanhecer)
FEBRAP/ABRAP/ABPCM


I – Das Considerações Iniciais

Inicialmente convém situar o leitor de que tal realidade foi acessada em experimentação cosmoretrocognitiva, ao período intermissivo cosmológico pessoal (cosmointermissão), o qual visitei pessoalmente, neste período entre vidas, aquilo que as consciências de nível cosmológico informaram-se se tratar de conselho. Informo que é a primeira vez em minha trajetória evolutiva que alcanço tal cosmointermissão e, de acordo com o amparador o qual recepcionou-me: "você está procurando isto há milênios e agora chegou seu momento de compreender". E aqui começa meu entendimento sobre a chave da cosmologia e muito do sentido da vida na Terra: a calibração cosmológica ou cosmocalibração. Então, iremos aqui penetrar em campo agudo, nevrálgico, possível causador de náusea na consciência materialista e no cosmólogo fisicalista, porém, aqui se encontra uma das informações mais importantes para que possamos compreender os fatos em fusão unificada. Começaremos pela existência dos conselhos e sua função a calibração do sistema solar, no caso presente mais relevante.

Antes de informarem-me tal nome, eu nomeei de ONPU e outras siglas para fazer referência às organizações mais amplas de gestão cosmológica, mas sem qualquer noção daquilo que informarei neste ensaio.

Este ensaio consta pois informações não citadas noutros textos e, por conseguinte, tornarão mais claro o entendimento do local consciencial que estamos ocupando, agora, na Terra em relação ao cosmos, dentre outros assuntos altamente complexos e importantes principalmente no campo da cosmologia, ou melhor, da Holocosmologia.

Assim, afirmo que a existência dos Conselhos passam do campo da hipótese para o de teoria experimentalmente comprovada por experimento cosmoprojeciológico, cosmoretrocognição, e fico aguardando maiores experimentos de outros projetores cientistas de si mesmos, para equalizarmos as informações e chegar em consensos mais precisos sobre o assunto.

II – Da Taxonomia em Cosmodireito e suas relações com a Cosmojurisdição e outros assuntos

No ensaio “Cosmocracia e Comunidade Cosmoética Universal” temos que:

“1. Acordos, Tratados e Convenções Interplanetárias: entre os planetas de um mesmo sistema solar (o Solar, por exemplo), emitidas pela ONPU – Organização das Nações Planetárias Unidas, correspondente.

2. Acordos, Tratados e Convenções Interestelares: entre as ONPU de cada sistema solar, emitida pela ONIU - Organização das Nações Interestelares Unidas (2 ou mais sistemas solares)

3. Acordos, Tratados e Convenções Intergalácticas: entre as ONIU correspondentes, emitida pela ONGU - Organização das Nações Galácticas Unidas (2 ou mais galáxias)

Diante disso, teríamos cargos avançados e cosmoéticos, por exemplo:

1. Embaixador interplanetário: representante da ONPU.
2. Embaixador interestelar: representante da ONIU.
3. Embaixador intergaláctico: representante da ONGU.”

Neste presente ensaio substituo o nome “organização”, devido ao seu caráter mais fechado para o de Conselho, conforme foi o nome intuído no experimento cosmoretrocognitivo. Adaptei o nome proposto para a característica básica do Conselho que é o de realizar a contínua calibração, numa espécie de atividade da alta cosmoengenharia planetária holodimensional.

Assim temos as hipóteses ainda em formação para investigações no campo da Cosmologia Avançada ou a Holocosmologia, por ordem de raio de abrangência holodimensional:

1. Conselho de Calibração do Sistema Solar
2. Conselho de Calibração Interestelar
3. Conselho de Calibração da Via-Láctea
4. Campo de Holointeligência Calibratória Intergaláctica
5. Campo de Holointeligência Calibratória Hologaláctica
6. Campo de Holointeligência Holocalibratória Cosmológica Infinita

Partindo do pressuposto da existência do primeiro conselho, temos que por dedução deve haver algum Conselho de Calibração mais específica da Terra, em trabalho de menor escala, associado à unificação do planeta num único “país”, relacionado com a ONU e demais trabalhos humanitários e ecológicos que visam à equalização e a progressiva harmonia da Terra.


III - Sobre o Conselho de Calibração do Sistema Solar

Temos que algumas de suas funções são:

1. Responsabilizar-se pela calibração do sistema solar.
2. Responsabilizar-se pela logística integrada da palingenesia ocorrente no sistema solar e suas relações com as nações interestelares e intergalácticas nos processos de fluxos de viagens interdimensionais, de ressoma e dessoma e períodos entre-vidas, em uníssono, obedecendo às medições da calibração integrada do sistema solar, especialmente ao monitoramento contínuo das atividades do Sol, em relação aos maxissistemas mais amplos, como galáxias, etc.
3. Controlar a gestão da extraterrestriologia multidimensional no sistema solar e planetas.
4. Controlar de forma uníssoma as atividades do Sol em relação à vida do sistema solar e aos processos da calibração e suas relações com a palingenesia.

Sobre o item 4, merecemos um outro ensaio fazendo as relações diretas entre os complexos cosmoprocessos da emigração e imigração interplanetária, interestelar e intergaláctica para o sistema Solar, não somente a Terra, o que nos faz ampliar a compreensão da ciência da ressoma em outros planetas, como Saturno e outros, e suas relações com a população na Terra e atividades astrofísicas aparentemente sem nexo e obedecendo a ciclos aparentemente somente físicos.

IV - Sobre a Formação do Conselho

Algumas das características do Conselho e seus membros e para futuras pesquisas e confirmações destas informações por mais parapsiquistas e cosmoprojeciólogos:

1. O Conselho é formado por consciências extrafísicas de aparência extraterrestre, embora eles mesmos diferentes entre si, fugindo completamente do fenótipo humanóide tal como somos aqui, da Terra.
2. O nível de evolução de seus membros está além daquilo que podemos compreender, em cosmo-discernimento, cosmo-ética, amorosidade pura ou amor cósmico, hiperlucidez e assim por diante.
3. O conselho se reúne periodicamente e extraordinariamente, em casos importantes, como: a preocupação serena com as atividades intensas do Sol e suas relações com a Terra e formas de manter a calibração do sistema Solar em harmonia através da colonização de Saturno por consciências extraterrestres vindas de fora do sistema Solar e transportadas pela nave-mãe e comandadas por uma consciência extrafísica da alta evolução.
4. O comandante da nave-mãe tem aparência mais para humanóide, por outro lado, apresenta-se com roupagem astronáutica, com capacete e botas brancas. A dimensão onde vive tal realidade pela informação, é paralela, como se fosse num trânsito em buraco de minhoca continuamente, tal como um metrô fica transitando em sua rota sem alterar de zoneamento. A característica da psicosfera do comandante é impressionante apresentando uma aura de lucidez cósmica, consciência de vida galáctica e cósmica vivendo tão só nos espaços siderais transportanta para cá e para lá consciências dentro da palingenesia interestelar e intergaláctica.

V – Das Reflexões

Admito que se eu mesmo não tivesse passado por experiências tão transcendentes e obedecido a critérios de discernimento o mais científicos que pude aplicar, em minhas autopesquisas multidimensionais e parapsíquicas especialmente no campo da cosmoprojeciologia, eu mesmo não acreditaria em absolutamente nada do que escrevi aqui. E honestamente, poderia facilmente achar tratar-se de mais uma obra da mística fanática. Assim, e diante de tal complexidade, deixo a máxima de Muldoon: experimentai e então saberás!

Então eu estou mais que convencido, estou experimentalmente tocado e autopersuadido pela experiência direta de que o cosmos é uma obra inteligente, melhor: o cosmos é em si um holocampo de inteligência cosmológica infinita. E de que estamos amparador em um nível cósmico o que nos possibilita uma paz interna e uma confiança maior perante a vida e ao futuro, que é infinito e eternamente existente.

Diante disso, aguardo a sua experiência e seu relato para que possamos unificar as informações e até certo ponto, filtrar possíveis erros de tradução da cosmoinformação, visto o caminho que a informação tem desde a dimensão mental e psicossomática mais cósmica até o cérebro e a escrita em lingua portuguesa. Não tenho eu a pretenção de afirmar isto tudo aqui como verdade, mas sim, antes de tudo, como uma transdução de cosmoinformação em informação humanizada (cosmotransdução).

VI - Das Referências

Estarão informadas no próximo ensaio sobre Holocosmologia.

0 comentários:

Postar um comentário

Caro(a) leitor(a), seu comentário é bem vindo!